Porque o desemprego na Suíça é tão baixo?

Historicamente a taxa de desemprego na Suíça manteve-se sempre estável em valores baixos, mesmo quando as condicionantes globais alteram (ex.: a recessão de 2008 apenas fez disparar 1 ponto percentual). Antes de analisarmos este facto, aqui ficam alguns dados sobre as variações da taxa de desemprego:

  • Actual: 3,5% (Janeiro 2017)
  • Mínima: 1,6% (anos 2000 e 2001)
  • Máxima: 5,4% (anos 1997 e 1998)

  • População activa: ˜ 5,063,000 (Dezembro 2016)
  • Pessoas desempregadas: ˜ 148,600 (Dezembro 2016)

Após uma análise de vários artigos de opinião acerca desta matéria, aqui ficam algumas das razões que ajudam a explicar como a sociedade suíça é capaz de manter esta estabilidade:

  • A legislação do trabalho e o sistema de apoios da segurança social “não convida” ao desemprego de longa duração. Praticamente todo o sistema de acesso aos apoios financeiros a desempregados, que não apresenta benefícios nada generosos, força os cidadãos a encontrar um novo emprego assim que estes se alistam nestes serviços de apoios cantonais.
  • A política de imigração no país é ajustada consoante as condições do mercado de trabalho interno. Existem mesmo relatos de que no passado, assim que o desemprego na Suíça começava a subir, os sindicatos e instituições de administração pública trabalhavam conjuntamente com as entidades patronais para fazer com o que os trabalhadores estrangeiros, na altura em grande maioria italianos, fossem convidados a regressar ao seu país.
  • A longevidade dos empregos é bastante mais alta do que a média europeia. A esmagadora maioria dos empregados por conta de outrem gozam de um contrato sem termo definido. Mesmo o trabalho temporário apresenta uma estabilidade muito alta, em que os trabalhadores têm segurança e facilidade em encontrar actividade lucrativa no país após o termo do contrato.

Fontes: tradingeconomics.com