Empresa condenada por despedir mulher que usava véu islâmico

Comunidade CH - Mulheres que utilizem burqa pagam 9200 francos

A empresa, uma lavandaria sediada em Berna, decidiu despedir uma trabalhadora, com seis anos de serviço, sem justa causa. Segundo o Le Matin Dimanche, a mulher de 29 anos de idade com nacionalidade Sérvia, foi despedida em Janeiro de 2015, depois de ter começado a usar hijab (véu islâmico).

Segundo a mesma fonte, a mulher ter-se-ia oferecido para lavar o lenço diariamente ou usar descartáveis, mas o empregador recusou, dizendo que teria do o tirar ou abandonar a empresa.

O Tribunal de Berna considerou que a empresa violou o direi1to constitucional da mulher à liberdade de expressão e que o uso de véu só pode ser motivo para rescisão no caso de impedir a realização das funções descritas no contrato de trabalho ou “afetar substancialmente” o ambiente de trabalho.


Fonte: jornaldenegocios.pt