Lixo transformado em luxo

Em Zurique, as penas de prisão leves e as multas podem ser pagas mediante a prestação de serviço numa oficina de reciclagem. Confusos? Nós explicamos.

Desde 1998, as pessoas que são condenadas com penas de prisão leves ou multas, cumprem as suas penas a transformar sobras de equipamentos electrónicos em jóias ou objetos de decoração.

Nas pequenas oficinas de reciclagem de materiais não há lugar a salários, trata-se de um projeto social organizado por uma instituição suíça – a Fundação de Ajuda ao Recluso e Ex-detido em Zurique (sigla em alemão, ZSGE).

O objetivo da fundação é ajudar à reintegração daqueles que cometeram crimes, nomeadamente, pessoas condenadas a penas de prisão até 90 dias ou que contraíram multas por infrações de transito ou utilização de transporte público sem bilhete. Quando as pessoas não possuem recursos para proceder ao pagamento dessas multas, a justiça dá-lhes a possibilidade de saudar essas dividas através da prestação de serviço comunitário.

Comunidade CH - Lixo Transformado em Luxo

A matéria prima chega à oficina diariamente, sendo ela composta pelos computadores, rádios, televisões, frigoríficos e demais aparelhos domésticos que são lançados ao lixo pela população. Os produtos elaborados a partir dela têm sucesso no mercado e são já vendidos em 50 pontos de venda espalhados pelo país.

As vendas acabam por ser vantajosas para os dois lados, quem trabalha vê a sua multa reduzida numa proporção de 15 francos por hora de trabalho e o estado economiza nos custos de manutenção das prisões.

Apesar de nem tudo ser tão simples quanto aparenta, uma vez que, os custos de manutenção da oficina são elevados e nem sempre é fácil lidar com os reclusos, o saldo é positivo. Os artigos elaborados estão a ter enorme sucesso nas lojas e feiras espalhadas pelo país e o objetivo para os próximos anos é criar novos produtos a partir do material usado.


Fonte: swissinfo.ch zsge.ch