A Guarda Suíça do Vaticano

A Guarda Suíça Pontifícia foi fundada em 1506 por 150 guardas suíços com o objetivo de defender o Papa. Três anos antes, sua Santidade o Papa Júlio II havia solicitado proteção aos nobres suíços. Cento e cinquenta dos melhores e mais valentes nobres desse país, procedentes dos cantões de Zurique e Lucerna chegaram ao Vaticano.
 
Durante o pontificado de Clemente VII (1523-1534), esses soldados suíços da guarda do Papa tiveram que enfrentar um grande combate em Maio de 1527, quando o imperador Carlos V invadiu Roma, com cerca de dezoito mil homens pertencentes ao seu exército. Os guardas suíços do Papa lutaram bravamente e 108 deles morreram no combate. Além disso, fizeram um cordão de isolamento em torno do Papa Clemente VII, levando-o em segurança até o Castelo de Santo Ângelo, que era o refúgio dos Papas quando atacados. A partir deste facto histórico e heróico, os guardas suíços ficaram até hoje como os guardiões do Papa.
 
A Guarda Suíça, dá segurança às autoridades estrangeiras que visitam oficialmente o Vaticano, assistem o Papa durante as suas viagens apostólicas e nas suas aparições na Praça de São Pedro. Nem sempre usem a farad, às vezes encontram-se à paisana, como guarda-costas e misturam-se à multidão, utilizando equipamentos de segurança de última geração.
 

 
Actualmente, a Guarda Suíça é composta por 109 membros, sendo cinco oficiais, 26 sargentos e cabos e 78 soldados.
 
Tornar-se soldado desta Guarda Pontifícia é uma tarefa muito rigorosa, senão vejamos:
 
• É preciso ser católico, pois devem participar todos os dias nas diversas celebrações litúrgicas do Vaticano.
• É necessário ter a cidadania suíça em honra aos 108 suíços que morreram na batalha de 1527.
• Somente são admitidos homens, com boa saúde física e psicológica.
• Os soldados devem ser solteiros, já os oficiais, sargentos e cabos podem ser casados.
• Todos devem dormir no Vaticano.
• Todos passam por um curso básico de preparação, ministrado pelo exército suíço, recebendo um certificado de aptidão.
• Devem ter uma conduta irrepreensível, formação profissional, capacidade de aprendizagem e maturidade.
• Podem ser admitidos entre 19 e 30 anos de idade.
• Os guardas assinam um contrato de dois anos e recebem um salário mensal de 1200 euros.
 


 
Fonte: Wikipedia